Quanto cobrar: valor mínimo (piso)

Aviso importante!

Eu sei que você não quer ver propagandas, porém o conteúdo gratuito só está aqui graças a publicidade. Considere desativar o AdBlock para esse site.

Seja bem vindo a mais um post da série de artigos chamada "Quanto cobrar", que como o próprio nome sugere traz dicas de quanto cobrar pelos serviços mais comuns na área de manutenção de computadores. Cada artigo da série irá abordar um assunto específico e além das dicas pode conter alguns cálculos simples para incentivar os técnicos em sua rotina diária de trabalho.

Lembre-se que formar o preço de venda de um produto ou serviço é uma tarefa complicada, e vários fatores podem influenciar no resultado final, tais como região do país, qualificação do técnico, fidelidade do cliente, custos do técnico entre outros. Vou levar em consideração a região onde eu moro atualmente (sul do país) para a composição dos artigos, se necessário adapte-os para sua realidade.

No artigo de hoje vamos falar sobre o "valor mínimo", que todo técnico deveria definir e cobrar de seus clientes para pequenos serviços, porém muitos não o fazem e depois reclamam que o cliente não valoriza seu trabalho.

Definindo o valor mínimo

O valor mínimo (uma espécie de piso salarial), é aquele valor cobrado para serviços pequenos e/ou rápidos, que se fossem cobrados por hora por exemplo custariam alguns poucos reais. Cabe a você como técnico definir qual o piso que será cobrado em caso de serviços rápidos, como trocar uma memória por exemplo ou instalar um aplicativo qualquer.

Eu cobro R$ 50,00 como piso, ou seja, para serviços que levam poucos minutos o cliente terá que pagar o valor mínimo definido. Vamos resumir da seguinte forma: nenhum serviço prestado por você pode custar menos que o piso estipulado.

Por que definir um piso

Para evitar a prostituição do trabalho, tanto o seu quanto dos demais técnicos da região. Se você presta pequenos serviços e cobra valores muito baixos como dez ou vinte reais, quando for necessário um serviço mais complexo seu cliente irá oferecer resistência e será difícil convencê-lo de que o serviço prestado realmente vale tudo aquilo.

Além do mais, essa prática acaba com os famosos sangue-sugas, que estão sempre em busca do "mais barato" porém sempre querendo um serviço de qualidade.

Portanto se você ainda não trabalha com um valor de piso previamente definido, trate de providenciar isso o quanto antes, ou então não reclame quando seus clientes não derem o devido valor ao seu trabalho!

Mais posts desta série

Este post faz parte de uma série, confira tudo que já foi publicado sobre o mesmo assunto.

Sobre o autor

Ricardo Bernardi

Sou técnico em hardware e desenvolvedor web, e sobre estes dois assuntos comecei a compartilhar aulas e artigos, tornando-me blogueiro em 2008. Em 2010 esse hobby virou profissão, e desde então tenho buscado melhorar e profissionalizar cada vez mais os projetos que mantenho na web.

Comentários

Atualmente temos 11 comentários para este post. Participe você também, clique aqui e comente sobre o assunto.

  • rogeriosampaio comentou em

    Também curti o texto e as dicas! Eu faço a mesma coisa, tem que ter um mínimo, nunca de graça!

    Responder
  • marcelof comentou em

    Muito esclarecedor o seu post, acho que vários técnicos vão seguir as suas dicas.
    Isso é muito importante para a categoria, saber se valorizar...

    Responder
  • JEOVANE comentou em

    Ricardo, boa tarde.

    Iniciei nessa área de manutenção desde 1992, e venho sofrendo com os famosos calotes e precinhos diferenciados para amigos desde então, mais ao ler o seu Blog, resolvi reforçar uma ideia que eu ja vinha pensando desde o começo do ano de 2013. Realmente tem que haver um posicionamento firme em relação a essa questão de quanto cobrar x pelo quê? Vou tomar como referencia tudo o que li aqui. E gostaria ainda, se possivel que você me desse autorização para utilizar seus textos (com referencias) no meu site.

    Att.

    Jeovane de Oliveira Sousa

    Responder
  • felipemantoan comentou em

    eu cobro R$ 50,00 fora o backup...bom pra quase tudo..."preciso que você formate meu pc" -- R$50,00 - "quero que vc coloque em dual-boot" -- R$50,00 - "quero que vc troque..." -- R$50,00+ o custo do item

    Responder
  • Thiago comentou em

    Como sempre o Ricardo mandando muito bem,esse mês termina minha assinatura Premium de um 1, foi o dinheiro mais bem investido que fiz pela internet, mais um vez agradeço ao Ricardo por todo o conhecimento passado.

    Responder
  • Rosangela comentou em

    Gostei muito dos seus artigos me ajudarão bastante, mas ainda tenho uma pergunta, como devo proceder quando um cliente pede para montar um computador? quanto cobrar pelo trabalho? eu compro as peças ou deixo ele comprar?
    aguado obrigada

    Responder
  • Daniel Hequer comentou em

    Olá blogueiros, estou maravilhado com o post a cima, na verdade são muitos técnicos que não têm um preso minimo em seus trabalhos, e de derta forma isso atrapalha bastante em alguns casos. Vamos pegar a dica e quem não pegar como diz o Ricardo "não reclame quando seus clientes não derem o devido valor ao seu trabalho!"

    Responder
  • Thiago Técnico em Informática comentou em

    Muito Bom Ricardo, Trabalho com Manutenção de Computadores a uns 2 anos, e no começo sofria com isso por falta de experiência.Hoje tenho preço tabelado de tudo e vivo só disso, aqui em Campo Grande, tem muito serviço nessa área.
    Sou fan do seu site bom demais, me despertou a programar para web,hoje estou começando a fazer ciência da computação, e esse site tem uma parte na minha vida. Continue passando conhecimento abraço e fica com Deus.

    Responder
    • Martone comentou em

      Ola, teria como me passar uma tabela com valores dos serviços tabelados? Sou morador do Rio Grande do Sul, acredito que não serei um concorrente. Estou tentando me vincular com uma Lan House para prestar serviço em manutenção e não sei os valores que devo praticar.... espero que alguém possa me ajudar com meu empreendimento. Obrigado!

      Responder

Deixe seu comentário